Apresentacao

APRESENTAÇÃO

O princípio filosófico básico que norteia a ação pedagógica do CEI, Educando para o Pensar, traduz-se, nos primeiros anos do Ensino Fundamental, por Aprender a Pensar – base para a construção da autonomia do aluno. A capacidade de pensar, embora uma habilidade natural do ser humano, pode ser potencializada na escola por meio de um ambiente educacional que oriente, que dê os rumos e que crie oportunidades para que os alunos desenvolvam uma predisposição para o pensamento reflexivo e crítico.


Essa aprendizagem ocorre de forma gradativa por meio de um exercício contínuo e interdisciplinar, no qual o raciocínio vai e volta, faz e refaz caminhos, possibilitando ao aluno ser autônomo no seu pensar, sabendo discernir entre o certo e o errado, aplicar o conhecimento construído, ter ideias novas e desenvolver uma atitude de reflexão frente às situações problemáticas.


O aluno aprende a partir das relações estabelecidas entre o conhecimento prévio e o objeto ou conceito a ser aprendido, partindo de vivências significativas e reflexões sistematizadas, sendo estimulado e mediado pelo educador ou colega a construir um novo e mais complexo conhecimento. Portanto, os conteúdos escolares devem abranger temáticas relevantes da realidade, numa constante interação entre conhecimentos prévios e científicos, os quais devem ter função social e servir de instrumento para uma melhor compreensão da realidade.


Na intenção de tornar a mediação do professor o mais efetiva possível, a relação professor-aluno deve funcionar de maneira democrática, entendendo o professor como mediador e facilitador da construção do conhecimento. Esta relação deve estar centrada no diálogo, no respeito mútuo, na cumplicidade, na compreensão e na afetividade.


Essa perspectiva de trabalho revela o enfoque globalizado do currículo escolar, que tem, como metodologia estruturante da organização dos conteúdos, a Pedagogia de Projetos, na qual o eixo de referência das aprendizagens é a própria realidade.